Definindo as Tolerâncias da Cor


A diferença de cor entre a amostra e o padrão é aceitável?

O objetivo final da implementação de um processo de cor é fazer com que você consiga a cor que você quer (ou que o seu cliente queira) para o produto acabado através de um processo eficiente e simplificado. Se a cor de um produto não corresponde ao padrão, a satisfação do cliente é comprometida e a quantidade de retrabalho, desperdício e os custos aumentam. Estabelecer tolerâncias objetivas de cor durante o processo é uma maneira eficaz de manter a consistência e precisão de cores, bem como para cumprir as normas de forma mais eficiente.

A tolerância de cor é o limite de quão grande pode ser a diferença de cor entre a amostra e o padrão para que a amostra seja considerada aceitável. Usando instrumentos de medição de cor, os valores de tolerância devem ser definidos internamente ou entre fornecedor e cliente, e utilizado no controle de qualidade para determinar se a amostra é aprovada ou reprovada durante inspeção. Para estabelecer uma tolerância de cor, as etapas a seguir devem ser seguidas.

1. Defina um padrão de cor: Que cor você quer que o produto acabado tenha?
Um padrão deve ser definido internamente ou entre fornecedor e cliente. Usando instrumentos de medição de cor, meça a cor que você gostaria que o produto acabado tivesse e anote seus valores colorimétricos.

2. Realize avaliações visuais: Quais são as cores visualmente aceitáveis?

Avaliações visuais são realizadas para correlacionar a percepção visual humana com os valores numéricos da cor. Para começar, junte as amostras ou lotes de cores que parecem de cor semelhante ao padrão e os avalie visualmente usando uma cabine de luz. Selecione as cores que são visualmente diferentes do padrão, mas ainda são consideradas uma correspondência aceitável com o padrão. Uma vez que as avaliações visuais estão completas, recolha as amostras para medição.

Por favor, observe que a sensibilidade do olho humano varia de pessoa para pessoa, o que pode fazer com que a cor pareça de forma diferente para cada indivíduo. Portanto, recomenda-se a utilização de um grupo de pessoas para confirmar essas avaliações visuais e manter a consistência.

3. Defina os valores de tolerância: Qual é a faixa de aceitabilidade?
Faça as medições de cada amostra escolhida entre as avaliações visuais usando um colorímetro ou espectrofotômetro. A diferença de cor entre cada amostra e o padrão pode ser registrada como ∆L *,∆ a *, ∆b *, ∆C *, ∆h, ∆Eab* , por exemplo. As diferenças dependem da formula de diferença de cor que está sendo utilizado. A cor da amostra com os valores mais distantes do padrão de cor pode ser utilizada como o limite máximo de tolerância.

Por favor, observe que esses valores devem ser reavaliados durante todo o processo de fabricação e continuamente refinado para identificar os valores de tolerância ideais para sua aplicação.

4. Estabeleça um sistema de tolerância: retangular, circular ou elíptico?

Os valores de tolerância devem ser correlacionados ao olho humano para que a cor seja visualmente e numericamente aceitável. Isso garante a consistência de um lote de material para o outro. Por isso, recomenda-se a utilização de um sistema de tolerância elíptica, tal como CIE2000, porque estes sistemas baseiam-se no limite de discriminação de cor do olho humano. Sistemas de tolerância elípticos foram criados para suprir as deficiências de outros sistemas de tolerância e melhorar a precisão.

Os valores máximos de tolerância limite definido na etapa #3 formam um elipsoide em torno da cor padrão. A cor que está dentro da tolerância elíptica definida é considerada aceitável, enquanto que a cor que está fora desta elipse é rejeitada.

Instrumentação de medição de cor e software de análise de cor de alta precisão, como o SpectraMagic NX, torna mais fácil a definição de valores de tolerância e identifica inconsistências entre a cor da amostra e do padrão.

Blogs de Medição de Cor


Blogs de Medição de Luz & Monitores


Privacy Preference Center